A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, deverá divulgar somente no  Imprensa Oficial de terça-feira, dia 11, a regulamentação das excepcionalidades por causa do decreto que restringe a circulação de caminhões nas principais vias de acesso ao município.

É grande a expectativa para saber como a Prefeitura tratará, por exemplo, os caminhões que entram na cidade para abastecer supermercados e outros estabelecimentos comerciais e os caminhoneiros da cidade.

A proibição de circulação de caminhões foi fixada através do decreto nº 2.484, de 12 de maio de 2017,  publicado no dia 15 de maio de 2017.

Na oportunidade, ficou estabelecido que a Prefeitura teria 60 dias para regulamentar  o decreto e inicializar as fiscalizações.  Como dia 15 de julho cai em um sábado, segundo a Divisão de Imprensa da Prefeitura, as sanções começarão a ser aplicadas na segunda-feira, dia 17.

Com o decreto entrando em vigor, ficará proibida a circulação de caminhões das 7h às 22h, na Avenida Dom Pedro I, em ambos os sentidos, na Avenida Alberto Diniz em ambos os sentidos e na Avenida dos Imigrantes, nos dois sentidos, entre a Praça Nove de Julho e a rotatória da Avenida Doutor Plínio Salgado, que dá acesso ao Circuito das Águas, passará a ser fiscalizado na segunda-feira, dia 17.

Conforme informações da Prefeitura a fiscalização será feita de forma eletrônica e o motorista que descumprir s regras perderá 4 pontos na carteira de habilitação e receberá uma multa pecuniária no valor de R$ 130,16.

As exceções só serão publicadas na  Imprensa Oficial na terça-feira,  dia 11. Há expectativa principalmente quanto as especificações referentes à Avenida Dom Pedro I, já que a via é de jurisdição do DER.

Além disto, as placas indicando a proibição que a Prefeitura prometeu implantar alertando os caminhoneiros, só serão instaladas entre os dias 13 e 14 de julho, ou seja, poucos dias antes da fiscalização, o que pode pegar muitos caminhoneiros de fora de surpresa, já que pouco o assunto praticamente não foi divulgado.

A ideia do decreto é melhorar a fluidez no tráfego no município bem como evitar o trânsito de veículos pesados pelas principais vias nos horários de pico.

A medida, embora possa realmente contribuir com isto, é paliativa, já que o mais adequado seria a construção da tão sonhada “perimetral”, ligando a Fernão Dias à Capitão Barduíno, o que realmente tiraria o intenso tráfego de caminhões que apenas passam pelo município em direção ao Circuito das Águas.