Além da exoneração do Secretário de Segurança e Defesa Civil, Dorival Francisco Bertin, deverá ser publicada também no Imprensa Oficial desta sexta-feira, 27, a exoneração do Secretário de Cultura e Turismo Cléber Centini Cassali.

A Prefeitura divulgou uma nota oficial falando das exonerações por volta das 12h40.

Na nota, a administração comunica que recebeu na tarde de quarta-feira, 25, o pedido de exoneração dos Secretários Dorival Francisco Bertin, de Segurança e Defesa Civil, e Cleber Centini Cassali, de Cultura e Turismo.

No pedido, os secretários justificam a atitude em razão de questionamento do Ministério Público da permanência dos mesmos nos cargos em razão de pendência judicial com perda dos direitos políticos.

Segundo a nota, os dois encaminharam ofício ao prefeito, argumentando “que tal sanção não é impeditivo para a ocupação dos cargos em razão da Justiça não lhes aplicar a perda da função pública, mas que, no entanto, para não haver desconforto para a Administração no caso, os mesmos resolveram pedir suas exonerações.”

A nota explica ainda que o prefeito Jesus Chedid aceitou o pedido e agradeceu aos dois secretários, afirmando que ambos são grandes companheiros e que prestavam grandes serviços à população.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



A administração  informou que pretende ainda na tarde desta sexta-feira, 27, divulgar os nomes que ocuparão os respectivos cargos.

Exoneração do Bertin

Bertin foi acusado de assédio moral com duas guardas municipais em 2005 e  foi condenado em uma ação Civil Pública. A Justiça determinou o afastamento e a perda da função e do cargos público, suspensão dos direitos políticos e pagamento de multa civil por ato de improbidade administrativa e pagamento de indenização às vítimas.

A decisão em primeira instância saiu em novembro de 2005 e Bertin já não estava mais no cargo visto que o prefeito Jesus Chedid foi cassado em outubro daquele ano.

Bertin, na época recorreu da decisão cujo processo ainda se arrasta na Justiça até hoje.

Agora, com o questionamento do MP, ele deixa o cargo.

Bertin disse à reportagem do Bragança Em Pauta, que tal assunto já havia sido questionado à Justiça, em 2013, quando ele assumiu a guarda Civil por 21 dias, no mandando relâmpago de Renato Frangini. “Na oportunidade o MP entendeu que não havia qualquer empecilho na minha nomeação e arquivou. No entanto, o mesmo questionamento se deu agora e para não criar embaraço para o prefeito resolvi me exonerar.

A exoneração de Bertin foi anunciada, coincidentemente, dias depois de um guarda municipal ter que abandonar sua residência no Cruzeiro, um dia depois de um jovem de 16 anos, acusado de envolvimento com o tráfico de drogas ser morto em um confronto com a PM e o clima quando o assunto é segurança publica do município ter esquentado.

O ex-secretário que já havia comandado a Guarda Civil, em outras administrações do prefeito Jesus Chedid, vinha enfrentando resistência da corporação, que se mostra insatisfeita, com as condições de trabalho.

Em um ano e 4 meses a frente da pasta a maior mudança ocorrida foi a separação da Secretaria de Segurança do Trânsito e mesmo ficando a frente apenas da Segurança e Defesa Civil, não houve compra de viaturas, os guardas ainda esperam a chegada de uniformes e melhorias por exemplo, no sistema eletrônico de segurança que tanto contribui não só para o trabalho da Guarda Civil mas de todas as forças de segurança do município.

Exoneração de Cléber Centini

Cléber Centini pediu exoneração no dia em que foi divulgada a programação do Maio Cultural, evento que movimenta a cidade culturalmente durante 30 dias.

O pedido de exoneração foi feito, por causa de uma condenação, em segunda instância, em um processo, que teve início em 2015, em Serra Negra, onde ele também exerceu o cargo de Secretario de Cultura e Turismo.

Cléber foi condenado por improbidade administrativa, por usar logomarca de sua empresa em banners da Prefeitura de Serra Negra.

Em fevereiro à administração havia se manifestado que a sentença não determinava a perda do cargo, e portanto, não havia impedimento de que ele continuasse como secretário, porém, agora, volta atrás, e aceita o pedido de exoneração.

Cléber é um dos homens fortes do governo. Além de estar no grupo há anos e por isto, ter sido também secretário em Serra Negra e Atibaia, foi coordenador da campanha eleitoral de Chedid em 2016.

Além dos dois, mais um secretário, Aniz Abib Júnior, também tem condenação na Justiça, por causa de reforma e manutenção do Clube Atlético Bragantino na administração anterior de Chedid.

Neste caso, entretanto, não houve pedido de exoneração nem nova manifestação da administração.

 

 

Deixe uma resposta