Secretário de Mobilidade fala sobre Uber e radares

Na tarde desta terça-feira, 18, o secretário de Mobilidade Urbana de Bragança Paulista, Rogério Crantschaninov esteve na Câmara Municipal, onde participou na Tribuna Livre.

Na oportunidade ele falou sobre diversos assuntos, entre eles o decreto de regulamentação de empresas como Uber, em Bragança Paulista, fiscalização de caminhões e radares.  Ele também respondeu questionamentos pontuais dos vereadores sobre lombadas e sinalização.

Rogério falou que a secretaria conta atualmente com 50 funcionários, sendo 22 agentes de trânsito, além de 13 funcionários da área operacional que trabalham com manutenção e 15 na área administrativa.

Fiscalização de Uber

O vereador Basílio Zecchini Filho questionou o secretário sobre o decreto que disciplina o uso do viário urbano de Bragança Paulista. Se os motoristas de Uber, por exemplo, estão ou não sendo fiscalizados e o secretário disse que o assunto está em uma fase jurídica. 

“Nós estamos realmente estudando. Existem diversos municípios que o decreto foram objeto de paralisação. Então a gente resolveu dar uma olhada, ver o que está acontecendo efetivamente neste municípios, para verificar se nosso decreto precisa ser alterado. Então está em uma fase jurídica, o assunto”, disse.

Já sobre os radares o secretário disse que nem todos estão em operação. “Alguns estão em vias que estão em fase de pavimentação. Tem que trocar os lastros detectores, fazer toda aquela aferição pelo INMETRO”, disse.

O contrato com a empresa Tec Det para implantação de novos radares em Bragança Paulista foi assinado no dia 31 de maio. O contrato tem validade de 30 meses meses e valor de R$ 6.583.054,74.

Na época a Prefeitura chegou anunciar que os radares seriam ligados, mas até agora, conforme o relatado pelo secretário não estão operando.

Já sobre os OCRs, que também são objeto da licitação feita pela Secretaria de Mobilidade, estão ligados. “Todos os radares tem equipamentos OCRs só que são usados para fim de segurança pública não para autuação. A fiscalização de trânsito, a mobilidade urbana, não utiliza o OCR para fins de autuação, disse.

Em seguida, alertado pelo vereador Paulo Mário, disse que o sistema é utilizado sim para aplicação de autuações na Avenida Alberto Diniz, Avenida dos Imigrantes e Dom Pedro I quanto a circulação de caminhões.

Sobre a Zona Azul para motos, também criada por decreto, em agosto do ano passado, ele disse que ainda também está estudando o assunto.

 

 

Deixe uma resposta