O sepultamento de Mauro Aparecido de Moraes Leme, que caiu da escada no último domingo, dia 26, na Passarela Chico Zamper, durante o Carnaval, acontece hoje, dia 3, as 9h no Cemitério da Saudades. Seu corpo está sendo velado no Velório Municipal.

O acidente chocou a cidade. Mauro Leme caiu de uma escada no momento em que tentava desmontar parte da alegoria da escola de samba Dragão Imperial para que o carro passasse pela fiação.

A Prefeitura, que já havia divulgado uma nota sobre o assunto no dia seguinte ao acidente, divulgou uma nova nota sobre o fato na tarde desta quinta-feira, dia 2.

No novo comunicado, além de afirmar que o servidor teve traumatismo de crânio encefálico grave e fratura na coluna, a administração divulgou que o servidor teve também fraturas na bacia e no tórax, informações que antes não tinham sido divulgadas.

A Prefeitura informou também que o velório aconteceria a partir das 16h desta quinta-feira, que o servidor exercia o cargo de pintor e que há 25 anos prestava serviços à municipalidade.

“Assim como outras dezenas de servidores da Secretaria Municipal de Serviços, foi mobilizado para prestar serviços na Passarela Chico Zamper durante os desfiles das escolas de samba para o andamento do evento”.

Ainda na nota, a Prefeitura informa que desde o ocorrido, acompanhou o estado de saúde do servidor e proveu  assistência junto aos familiares.

“O prefeito Jesus Chedid esteve com a família do servidor no dia seguinte ao ocorrido oferecendo todo apoio necessário. Como medida imediata, foi emitido um Comunicado de Acidente de Trabalho (CAT) pela Prefeitura, que está sendo acompanhado pelo SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho). A Prefeitura lamenta profundamente o acidente ocorrido e se solidariza com a dor dos familiares, reafirmando que está dando total assistência à família.”

O Sindicato dos Servidores Municipais de Bragança Paulista (SISMUB) enviou um ofício para a Prefeitura fazendo diversos questionamentos à Prefeitura, como por exemplo, se havia profissionais de segurança do trabalho acompanhando a execução dos serviços, quais os treinamentos que o funcionário recebeu para trabalhar em altura, se haverá abertura de procedimento interno e se o funcionário tinha equipamentos de prevenção de acidentes.

A reportagem do Bragança Em Pauta também fez questionamentos à Divisão de Imprensa, por e-mail, sobre o acidente, mas não obteve retorno. Há informações de que um outro funcionário teria se machucado na mesma oportunidade. A administração não confirma nem descarta o fato.