Por mais que as forças policiais de Bragança Paulista realizem um ótimo trabalho diário e continuo no combate ao tráfico é necessário que seja feito algo urgente, a fim de que o município não perca a guerra para os traficantes, afinal, muitas vezes, para eles parece não existir mais limites.

Na tarde desta quarta-feira, dia 9, a Polícia Militar deteve um indivíduo mais conhecido como “Lacraia”, acusado de gerenciar o tráfico na  Vila Flora.

Por mais inusitado que possa parecer, “Lacraia”e um comparsa conhecido como “Cabeção”, que no momento da abordagem policial conseguiu fugir, são acusados de invadir a casa de um morador da Rua Acácias, manter o homem trancado no imóvel e usar as dependências para embalar e traficar drogas.

Além de invadir a residência, “Lacraia” e “Cabeção” também são acusados de agredir o morador do imóvel, um homem de 56 anos, que apresenta pelo corpo diversas marcas de agressão.

A PRISÃO

No momento em que os policiais chegaram ao local, avistaram dois indivíduos embalando drogas na cozinha. Eles fugiram quando viram os policiais.

Um deles pulou o muro e foi para o quintal de outra residência, onde dispensou três kits com 10 pedras de crack cada um, totalizando 30 pedras. Ele foi detido e identificado como Tiago José da Silva, 27 anos, o “Lacraia”. Com ele foram encontrados 01 celular e R$ 30,00.

“Cabeção” conseguiu fugir.

Os policiais retornaram para o imóvel e encontraram o homem de 56 anos deitado na cama e com alguns ferimentos, tendo ele alegado que “Lacraia” e “Cabeção” seriam os autores da agressão.

Em cima  da mesa da cozinha os policiais encontraram mais 53 pedras de crack, lâminas de barbear usadas para o preparo da droga e saquinhos plásticos vazios usados para embalar droga.

“Lacraia” assumiu a propriedade da droga junto com o indivíduo que fugiu, cujo nome ele não quis revelar. Ele foi conduzido ao Plantão Central, autuado em flagrante por tráfico de drogas e recolhido à cadeia.

Ações semelhantes são comuns principalmente em grandes cidades e nas favelas. Exemplo disto, são os morros cariocas, onde os traficantes dominam as favelas e criam dentro delas suas próprias leis.

Em Bragança Paulista, as reclamações não param de chegar à imprensa com relação ao tráfico de drogas e ação dos traficantes na região dos Bairros Henedina Cortez e Águas Claras, onde foram entregues recentemente mais de 1600 unidades populares.

Muitos moradores têm medo de fazer denúncias, com medo de represálias.

Recentemente, com a onda de palhaços aterrorizantes, a polícia chegou a ser acionada por que indivíduos estariam na rua assustando as pessoas. O fato espalhou pânico entre os moradores de bem.

O bairro, foi inclusive apelidado de “Cidade de Deus”, em referência a uma favela carioca.

Em 2015, uma moradora de um dos apartamentos chegou a sofrer agressões de familiares de um jovem infrator porque o mesmo foi preso e familiares acreditavam que ela teria feito a denúncia já que não deixou em uma oportunidade anterior que o menor se escondesse da polícia em seu apartamento. A moradora teve que se mudar do local para fugir das ameaças.

Enfim, a questão do combate ao tráfico não é só um problema de segurança pública local. Ao contrário, vai muito além de prisões locais pelas forças de segurança. É necessária ações contra os grandes traficantes, que em muitos casos, comandam o tráfico inclusive de dentro das cadeias.

É necessário um combate intensivo nas fronteiras. É um problema social e de saúde pública, que merece atenção dos governantes em todo o mundo.