Apenas um dos menores acusados de matar o cabeleireiro Roberto Rodrigues dos Santos, mais conhecido como “Beto Rodrigues”, de 40 anos, foi apreendido na Fundação Casa. O mandado de apreensão foi expedido no final da quarta-feira, 24, pela Justiça e a família do adolescente de 14 anos, o entregou à Justiça.

Em entrevista ao Jornal Bragança Em Pauta, o delegado que cuidou do caso, José Glauco Silveira Lobo Ferreira,  disse na tarde de quinta-feira, 25, que aguarda que o outro adolescente se entregue nas próximas horas, conforme o já conversado com o advogado da família.

Os dois adolescentes, de 14 e 15 anos confessaram o crime. Como eles têm menos de 18 anos, a pena máxima prevista é de 3 anos.

O crime

O assassinato aconteceu na noite do dia 10 de outubro. O corpo de Beto Rodrigues, foi encontrado por uma funcionária na manhã do dia 11, quando ela chegou para trabalhar.

Segundo a Polícia Civil, o garoto de 15 anos, mantinha um relacionamento em segredo, com Beto Rodrigues e foi por isto, que o mesmo abriu a porta para ele. Beto já teria dado dinheiro para o menor, em outras oportunidades.

Na noite do crime, segundo as investigações, o rapaz convidou o amigo, de 14 anos, para roubar o veículo do cabeleireiro, um Honda Civil. Quando chegaram no local, o menor de 14 anos ficou do lado de fora do salão.

O jovem de 15 anos entrou, com consentimento do cabeleireiro, e lá ficou por cerca de 15 minutos. Disse então ao Beto que ia fumar e saiu, foi então que conseguiu entrar na casa novamente, desta vez, acompanhado do adolescente de 14 anos.

Os dois confessaram à polícia que teriam usado drogas antes de entrar na casa.

O rapaz de 15 anos carregava uma arma de brinquedo na cintura e pediu dinheiro para o cabeleireiro. O mesmo negou. Mas como frequentava o local, o rapaz sabia que o cabeleireiro escondia o dinheiro no ar condicionado.

Beto reagiu ao assalto e deu um tapa na arma de brinquedo. Houve então luta corporal e o cabeleireiro ainda tentou se esconder no banheiro, mas não conseguiu.

Os menores se armaram então com facas da cozinha.

O jovem de 14 anos, disse à polícia que ele não deu nenhuma facada no cabeleireiro e que o colega teria o matado para que Beto não o entregasse para polícia.

O rapaz de 15 anos, por sua vez, não assumiu a autoria das facadas. Ao contrário, disse que com a reação do cabeleireiro, o garoto de 14 anos que resolveu matá-lo porque as coisas saíram do controle.

Após matar o cabeleireiro os menores roubaram perfumes, cerca de R$ 700,00 em dinheiro, o celular e cartões da vítima, e uma TV e fugiram de Uber.

As investigações

Policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) chegaram aos menores porque o garoto de 15 anos, passou a usar o cartão da vítima no comércio local. Além disto, o celular de Beto Rodrigues, foi repassado pelos menores para outros adolescentes, o que ajudou no trabalho de investigação.

O primeiro adolescente identificado foi o de 15 anos. Ele foi levado para delegacia na sexta-feira, 19. Na segunda-feira, 22, a polícia identificou e ouviu o garoto de 14 anos. O rapaz de 14 anos chegou a ir na delegacia usando um tênis de Beto Rodrigues, que foi apreendido.

O delegado Dr. Glauco ressalta que os menores nunca estiveram na Fundação Casa, porém ambos tem passagem na polícia por porte de entorpecente.

O crime chocou a cidade. Beto era bastante conhecido pela qualidade de seu trabalho e mantinha relacionamentos discretos.

Desde o início das investigações, apesar do roubo dos objetos, a Polícia Civil trabalhava com a hipótese do crime ter envolvimento de alguém que o cabeleireiro conhecia, já que a casa não tinha sido arrombada.

O Bragança em Pauta, tinha conhecimento das investigações mas não divulgou antes os fatos, para não atrapalhar o trabalho da polícia, que aguardava que a Justiça decretasse a apreensão dos menores.

 

 

Deixe uma resposta