A Comissão de Educação e Cultura, Esporte, Saúde, Saneamento e Assistência Social realizou, nesta segunda-feira 14, uma sessão extraordinária para tratar dos problemas no atendimento prestado pela Unimed Estâncias Paulistas no município.

A população, a imprensa e os vereadores aguardavam esclarecimentos do representante da entidade, José Jozefran Berto Freire, mas o mesmo ignorou a todos e não compareceu à reunião.

Com a ausência de representantes da entidade, que na semana passada, deixou usuários na mão não avisando do  corte de  tendimentos nos consultórios e clínicas de exames, os vereadores definiram que irão elaborar um requerimento com cobranças à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), encaminhando cópia do documento para deputados estaduais e federais, além de Ministério Público, para que uma atitude urgente seja tomada para que os atendimentos e tratamentos voltem a ser realizados.

Os vereadores Fabiana Alessandri,  Natanael Ananias, Antono Bugalu, Rita Leme, José Gabriel Cintra Gonçalves,  Beth Chedid e Ditinho Bueno do Asilo, aproveitaram a oportunidade para ouvir a população e suas demandas.



Os usuários sugeriram que a Unimed faça a portabilidade extraordinária de sua carteira a fim de garantir ao consumidor opções de planos de saúde,  sem ter que cumprir novos períodos de carência ou ter cobertura parcial temporária.

A ANS, no mês de abril, determinou que a entidade fizesse a alienação da carteira, mas até o momento isto ainda não aconteceu.

Desde o dia 7 de maio, a reportagem do jornal on line Bragança Em Pauta, aguarda manifestação sobre o assunto da diretoria da entidade.

Os vereadores apresentarão o requerimento para apreciação do Plenário na sessão desta terça-feira, 15.  No documento haverá o relato da situação de descaso em que se encontra o município em relação ao atendimento da Unimed e a solicitação imediata da portabilidade extraordinária.

Os vereadores também irão encaminhar o documento para o Ministério Público, com cópia da ata da sessão e da lista de presença na reunião da Comissão de Saúde.

 

1 comentário

Deixe uma resposta