Dez dias após o início da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Gripe, a reportagem do Bragança em Pauta, constatou que não havia mais vacinas contra H1N1, no Posto de Saúde Dr. Lourenço Quilicci, no Lavapés.

Faltam doses da vacina também em outros postos e segundo a Divisão de Vigilância Epidemiológica (DIVE) “não há uma relação de quais unidades ainda têm as doses disponíveis, pois a procura tem sido grande e consecutivamente esta relação de unidades com estoque finalizado, muda a cada momento”.

No dia da mobilização da campanha foram registradas filas na maioria dos postos. Nunca na história da campanha da vacinação isto ocorreu. Ao contrário, por diversas vezes, a campanha em anos anteriores era prorrogada porque os integrantes dos grupos de risco não atendiam aos chamados para a vacinação.

Ainda de acordo com nota, da secretaria de Saúde na quinta-feira, dia 5, Bragança Paulista recebeu o segundo lote, com 5 mil vacinas, e não há previsão de data para retirada de novas doses.

“Reiteramos que as vacinas são de responsabilidade do Ministério da Saúde, que repassa as doses para todos os estados, incluindo São Paulo, e que por sua vez, o Estado encaminha as doses para os municípios”

A Secretaria de Saúde informa ainda que até o momento não existem casos confirmados de H1N1 e nem de óbitos decorrentes da doença em Bragança Paulista.

“Existem 49 casos suspeitos da doença que só podem ser descartados ou confirmados após a chegada dos resultados de exames do Instituto Adolfo Lutz, o que ainda não ocorreu. O Instituto é responsável pelos resultados de outras cidades da região, e por isto pode ocorrer uma demora na liberação de resultados”, afirma a nota.

O número cresce a cada semana. Até o dia 27 de abril, conforme o já noticiado pelo Bragança em Pauta, havia 37 casos suspeitos.

A Secretaria de Saúde informa que até a última quinta-feira, dia 5, no total, já tinham sido vacinadas 21.034 pessoas sendo: 4.933 crianças de 06 meses a 5 anos, 1.700 profissionais de saúde, 680 gestantes, 143  puérperas, 10.160  idosos e 3.418 portadores de doenças crônicas.