Skip to content

Vereadoras mulheres se manifestam sobre o “episódio da calcinha”  

Vereadoras mulheres episódio calcinha

Por Filipe Granado

O lamentável “episódio da calcinha” envolvendo o vereador de Bragança Paulista, Ditinho Bueno, do PSC (Partido Social Cristão) repercutiu em todo país e criou uma série de debates.

Sobre a falta de decoro do parlamentar, devido a postura em ambiente de trabalho; sobre a falta de respeito com a vereadora que estava falando e principalmente, o desrespeito para com as mulheres e a prática de machismo.

LEIA TAMBÉM:

Vereador observa e cheira calcinha durante sessão
Ditinho pede desculpas por episódio das calcinhas
Conselho da Mulher, vereadores e partido repudiam vereador cheirando calcinha

Na atual legislatura da Câmara Municipal, apenas três mulheres foram eleitas, o que representa cerca de 15% do total de 19 cadeiras. São elas: a presidente Beth Chedid (DEM), a vereadora Fabiana Alessandri (MDB) e a vereadora Rita Leme (DEM).

O Em Pauta tentou contato com as três vereadoras, para saber como elas receberam esta notícia e que pudessem comentar, sobre como se sentiram na condição de representantes das mulheres. Somente Beth Chedid não atendeu o pedido de entrevista. Afirmou que se reservava ao direito de, por enquanto, não falar sobre o assunto.

Fabiana Alessandri

A vereadora Fabiana Alessandri, que inclusive realizava explanação na hora em que o vereador Ditinho manuseia e cheira a calcinha, classificou o episódio como lamentável e vergonhoso.

“Eu repudio essa atitude do vereador. Fiquei estarrecida”, afirmou.

Segundo Fabiana, no momento da sessão ela estava no seu escritório, em sua residência e não notou nada de anormal pois estava no celular, que só mostra os vereadores que estão fazendo uso da palavra.

“Eu estava discorrendo sobre um projeto importante, muito sério, sobre queda de eucaliptos, inclusive gente já morreu”, disse.

“Tive conhecimento somente na quinta-feira, quando as pessoas começaram a me mandar o vídeo e fiquei estarrecida, fiquei envergonhada e estou esperando uma atitude da Mesa Diretora”, afirmou a vereadora que disse ter procurado os componentes da mesa, para cobrar providências.

“As pessoas esperam essa resposta da Câmara Municipal, como Instituição”, finalizou.

Rita Leme 

Quem também foi ouvida pelo Em Pauta foi a vereadora Rita Leme. Ela disse que não gostaria de comentar especificamente sobre o episódio, mas ressaltou que “somos figuras públicas, temos que ter cuidado com atitudes e ações”.

Disse ainda que como vereadora, luta muito pelos direitos da mulher e pelo respeito: “Somos poucas, temos que ter mulher na política para lutar pelos nossos direitos”.

“Que sirva de aprendizado e exemplo para que as mulheres lutem por respeito”, concluiu Rita.

Quer receber notícias confiáveis de Bragança Paulista e região no celular?  É só clicar aqui:
WhatsApp do Bragança Em Pauta

 

Deixe uma resposta

© 2015-2020 Jornal Bragança Em Pauta - Todos direitos reservados