Os vereadores que compõe a bancada do grupo Chedid protocolaram na noite de quinta-feira, dia 7, representação contra o prefeito Fernão  Dias da Silva Leme por causa de questões relacionadas à saúde.

No documento, eles pedem “providências legais contra as falhas em níveis de gestão que deixaram o caos na saúde do município”.

Segundo a assessoria do Grupo Chedid, o protocolo foi efetuado às 18h30, junto à promotora Ana Maria Buoso, da Curadoria da Saúde. O documento foi protocolado pelos vereadores Dito do Ônibus, Paulo Mário, Jorge do Proerd, Gi Borboleta, Luiz Sperendio, Léo do  Toró, Mário B. Silva, Natanael Ananias. Tião do Fórum e José Gabriel.

No documento, os vereadores alegam que a situação coloca a população em risco já que existem em espera, segundo os documentos apresentados mais de 8 mil atendimentos especializados, com destaque para mais de 2 mil consultas oftalmológicas e 1740 consultas dermatológicas e 676 cirurgias.

Os vereadores apontam ainda na denúncia a fila de espera para mais de 7 mil exames, sendo cerca de 2 mil de ultrassom intravaginal.

Os vereadores denunciaram também a falta de medicação e destacaram que a Prefeitura não cumpriu metas do Plano Municipal de Saúde, válido para 2014 a 2017.  Entre as metas não cumpridas,  os vereadores cobraram a inauguração da unidade de Estratégia de Saúde da Família (ESF) Nicola Cortez, no Jardim Águas Claras.

Os vereadores alegam que com a entrega de centenas de moradias populares no local é urgente a implantação da unidade. Na manhã desta sexta-feira, dia 8, foram entregues mais 712 unidades no local.

No documento, os vereadores concluem que a população “não está sendo atendida em suas prerrogativas básicas, e atenção primária, secundária e terciária”.

Saúde é um assunto polêmico em todo país e em Bragança Paulista, as reclamações tem aumentado desde que a Prefeitura firmou um contrato com Associação Brasileira de Beneficência Comunitária (ABBC), Organização Social que faz a gestão compartilhada da saúde do município.

O Tribunal de Contas deu prazo até meados de julho para que a Prefeitura se manifeste sobre alguns itens referentes às contas de 2014. A Comissão de Saúde, apresentou relatório com várias denúncias com relação as contas de 2015. Alem da manifestação da Prefeitura para o Tribunal de Contas, os vereadores aguardam para o dia 20 de julho a participação de diretores da ABBC na  Comissão de Saúde.