O viveiro-escola do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas está aberto para visitações das escolas tanto da rede pública como particular de ensino. A atividade, faz parte do projeto Semeando Água, patrocinado pela Petrobras, através do programa Petrobras Socioambiental e do. Governo Federal.

O viveiro fica em Nazaré Paulista e além de receber alunos daquela cidade, está aberto para visitas de alunos de  mais sete cidades que integram o Sistema Cantareira:

  • Mairiporã,
  • Joanópolis,
  • Piracaia
  • Bragança Paulista
  • Itapeva,
  • Extrema
  • Camanducaia

Estes municípios são parceiros do Semeando Água que têm como uma das frentes de trabalho a conservação e a restauração florestal em áreas prioritárias para a melhoria da regulação e da qualidade de água, como margens de rios e nascentes.

A ideia com as visitas monitoradas, voltadas para alunos do Ensino Fundamental e Médio é articular o conteúdo apresentado em sala de aula com a experiência no viveiro e assim reforçar o aprendizado relativo ao crescimento das árvores, biomas, biodiversidade, serviços ecossistêmicos e questões sociopolíticas, como a Agenda 2030 – plano de ação assinado por 196 países com 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e 169 metas.

Atualmente, 60 espécies de árvores nativas são cultivadas no viveiro do IPÊ, o que soma esforços na direção do
Objetivo 15 Vida Terrestre – da Agenda 2030 sobre proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade.

A visita para grupos escolares é gratuita, mas requer agendamento. O transporte até o local é responsabilidade da escola.

“Vamos mostrar aos estudantes os vários tipos de sementes, como elas são dispersadas pelas plantas, a germinação e os estágios de desenvolvimento. É interessante que as crianças tenham conhecimento sobre a relação entre a fauna e a flora locais e informação para diferenciar uma árvore nativa de uma exótica, como o eucalipto, por exemplo. No viveiro, elas aprendem o que é biodiversidade na prática, sentindo cheiros, percebendo texturas, formatos, tocando nas plantas”, afirma Andrea Pupo coordenadora da equipe de Educação Ambiental.

As descobertas no local também ampliam o conhecimento e despertam o interesse por novos assuntos que podem ser aprofundados em sala de aula, tornando o aprendizado mais dinâmico. Durante a visita, a importância da preservação também tem lugar especial no programa.

Professores podem programar a visita da sua turma ao viveiro do IPÊ, enviando e-mail para andrea_pupo@ipe.org.br ou ligando para (11) 97297-3516. A equipe do IPÊ recomenda uma turma por vez, como forma de garantir a participação ativa de todos os alunos nas atividades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *