Wesley do Bragantino é rejeitado no Paraná Clube

No início desta semana, a jogador do Red Bull Bragantino, Wesley Pionteck, se despediu de parentes e amigos realizando um churrasco com mais de 30 pessoas, em uma chácara (foto).

O destino profissional do atleta condenado por violência doméstica seria o Paraná Clube, onde estava com negociações avançadas, conforme divulgou o repórter Diego Perez, da FM 102. Ele não estaria nos planos do técnico Mauricio Barbieri.

Jornalistas do Paraná, que cobrem o clube, chegaram a afirmar que Wesley chegou a treinar em Curitiba na segunda-feira. E assim que a iminente contratação se tornou pública, uma enorme movimentação de torcedoras e torcedores do Paraná pode ser vista nas redes sociais, se posicionando contrários a vinda do condenado atleta.

 TORCIDA FEMININA

 

A torcida feminina do Paraná, denominada Gralhas da Vila, lançaram um manifesto. “Não se pode vestir uma camisa e no minuto seguinte contratar agressor de mulher. Talvez vocês precisem entender um pouco mais sobre atitudes que de fato mudam o cenário. Estamos aqui para conversar, inclusive. Para trocar conhecimento. Mas não esperem o silêncio”, afirmaram, utilizando como imagem do manifesto uma campanha pedindo o fim da violência contra mulher, realizado pelo próprio Paraná Clube.

Após o apelo, foram dezenas de posts de mulheres e homens inconformados com a contratação. Uma enquete chegou a ser realizada, para perguntar quem deixaria de pagar o sócio torcedor, caso Wesley fosse anunciado. E mais de 65% dos torcedores afirmaram que sim.

DESISTÊNCIA

E após toda pressão, nesta quinta-feira, 26, o globoesporte.com e a Rádio Banda B, anunciaram que o Paraná Clube desistiu da contratação de Wesley. A negociação foi encerrada e os agentes do jogador devem procurar um novo clube para ele.

O Em Pauta tentou contato com o escritório do Marcio Bittencourt Sports, mas não obteve êxito.

Em Bragança Paulista, as informações dão conta de que ele não jogará mais pelo Red Bull Bragantino e está liberado para encontrar outro clube. Oficialmente o clube nunca se pronunciou sobre o caso.

CONDENAÇÃO POR VIOLÊNCIA DOMÉSTICA

Wesley foi condenado em outubro de 2019. Ele é acusado de agredir a ex-namorada no dia 6 de janeiro de 2019, na cidade de Sales Oliveira.

O jogador foi condenado por causar lesões corporais, de natureza grave na ex-mulher e a ameaçá-la. Segundo o relato da namorada, à Justiça, desde o início do namoro ela “sempre foi agredida e ‘torturada’”.

De acordo com o processo n° 150006-42.2019.8.26.0397, disponível no site do Tribunal de Justiça, no dia da ocorrência, o casal já estava separado. Ela então saiu com suas amigas e quando voltou para casa e estava com sua filha, o atleta foi lá agrediu e deu golpe de facas na vítima. A mulher gritou por socorro e o vizinho chamou a polícia.

No dia da ocorrência, Wesley confessou ter cometido a agressão por ciúmes. A mulher chegou a ficar afastada de suas atividades, por cerca de 30 dias.

Ele foi condenado no artigo 129, §§ 1º. 9º e 10 do Código Penal, ou seja, condenado por lesão corporal a 1 ano e 4 meses de prisão, em regime inicial aberto, por ser réu primário, sendo que deve se apresentar em juízo a cada três meses.

A condenação foi mantida pelo Tribunal de Justiça no dia 27 de julho deste ano e ele tem que informar o seu paradeiro rotineiramente à Justiça.

Para saber tudo sobre o Red Bull Bragantino, aliás, é muito fácil. Acesse o link:  https://bragancaempauta.com.br/tag/red-bull-bragantino/

Quer receber notícias de Bragança Paulista, bem como da região, no celular?  É só clicar aqui:
WhatsApp do Bragança Em Pauta

Deixe uma resposta