Continua repercutindo o grave acidente registrado na manhã de segunda-feira, dia 3, na Rodovia Fernão Dias, que vitimou a professora de Arte, Aline Pires de Araújo, de 32 anos, cujo sepultamento está marcado para as 15h de terça-feira, dia 4,  no Cemitério Jardim da Serra.

Segundo informações preliminares da AutoPista, concessionária que administra a rodovia, o acidente teria ocorrido quando duas carretas perderam o controle de direção e caíram no canteiro central. Os veículos que seguiam atrás, não conseguiram parar e houve então o engavetamento.

Conforme o registrado no Plantão Central da Polícia Civil, entretanto, os policiais rodoviários federais que atenderam a ocorrência relataram que o acidente aconteceu quando André  Camozato, parou o seu caminhão de placas JJH-9952 e reboque de palcas JJII-9963 por causa de obras na pista.

Aline que conduzia o Corsa de placas EYX-8164 não conseguiu desviar e colidiu contra a traseira do caminhão.

Foi então que seu carro foi atingido na traseira por um caminhão de placas IIO-1078 acoplado ao reboque de placas AIB-6150, que era conduzido por Rodrigo Ribeiro Luiz.

O veículo de Aline ficou prensado. Ela morreu no local do acidente.

O caminhoneiro Rodrigo também sofreu ferimentos. Ele foi socorrido ao Hospital  Universitário, com fratura no braço esquerdo e também passou por cirurgia com uma lesão no baço e compressão do tórax, permanecendo inconsciente na UTI.

Na sequência, outros caminhões e veículos também foram atingidos pelo caminhão de placas KGD-3919, e reboque MEO-2035 que era conduzido por Felipe Adorno Alves Pinto, que colidiu inclusive contra o primeiro caminhão. Ele não sofreu ferimentos, mas acabou passando mal por causa do acidente e foi socorrido.

Todos os motoristas envolvidos no acidente passaram por exame de dosagem alcoólica, exceto Rodrigo que foi socorrido ao HUSF.  E todo os resultados foram negativo.