Bastidores em Pauta

Quando criamos a coluna Bastidores Em Pauta, em 2019, nossa ideia era trazer um pouquinho dos bastidores da política local para você leitor, todos os sábados. Mas, escrever uma coluna, sobre os bastidores da política local, não é algo tão fácil como muitos imaginam, requer tempo, observação e muita dedicação. Por questões técnicas acabamos deixando de lado a coluna por alguns meses.

Agora, no entanto, mais do que nunca é hora de voltar, afinal a eleição se aproxima e os bastidores estão quentes. Então, para você que sentiu falta da leitura, seja bem-vindo novamente. Para você que ainda não tinha acompanhado nenhuma das nossas publicações, esperamos que gostem.
Voltamos para ficar!

FALANDO EM VOLTAR…

Sabe aquele processo que em 2016, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ), mandou retornar para o Tribunal de Justiça, de São Paulo, para novo julgamento de Jesus Chedid por causa de propaganda eleitoral divulgada em 2004, considerada irregular pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE)?

Ele continua paradinho, sem qualquer julgamento. E sem andamento ele não influencia em nada, uma candidatura à reeleição do prefeito Jesus Chedid.

FUTEBOL E POLÍTICA

A preocupação do prefeito para as eleições de 2020 é outra. Trata-se de um processo que envolve não só política, mas também futebol. Condenado em 2017 em segunda instância por improbidade administrativa por causa de uma reforma que fez no Estádio do Bragantino, antes mesmo de lhe chamarem de “Nabizão”, os advogados de Jesus Chedid querem que a Justiça suspenda a decisão, a fim de inviabilizar uma possível candidatura às eleições de 2020.

JESUS CHEDID DE NOVO?

Apesar de oficialmente o prefeito Jesus Chedid ainda não ter falado em reeleição, esta movimentação de seus advogados, nesta semana, indica que há sim esta possibilidade, mesmo o prefeito tendo 81 anos de idade. Com a pandemia da COVID-19, Jesus Chedid não tem participado das inaugurações de obras realizadas nos últimos dias. Em seu lugar, mesmo com 72 anos, Amauri Sodré segue cumprindo os compromissos públicos.

E SE ELE NÃO FOR CANDIDATO?

Com Amauri, em plena pré-campanha muitos se perguntam se é ele quem será o candidato do Grupo Chedid. Outros nomes cotados, inclusive em pesquisas eleitorais feitas por telefone estão Beth Chedid, Marquinho Chedid, Gi Borboleta e Adilson Condesso. Gi foi afastada do cargo de secretária de Agronegócios, no prazo exigido para ser candidata a vereadora também. Condesso não foi afastado do cargo de secretário de Educação. Com o adiamento da eleição para novembro, teoricamente, teria até o dia 15 de julho para deixar a Prefeitura. Improvável, no entanto, que o escolhido seja um dos dois.  Estão longe de ser um dos nomes fortes e de total confiança do grupo.

CARTA NA MANGA?

O mais óbvio seria a escolha de Amauri Sodré, que perdeu a eleição para João Afonso Sólis (Jango) em 2008. Ou será que o prefeito tem uma carta na manga? Estamos de olho!

E A OPOSIÇÃO?

Rachada, como sempre!

Se a situação ainda não tem oficialmente candidato, a oposição continua se articulando. Claro, que também esperam um posicionamento do Grupo Chedid, mas por enquanto vários grupos seguem fazendo reuniões com o objetivo de construir seus planos de governo.

Tem pelo menos seis pré-candidatos. Quem são? Basílio Zechinni (PSD), Jango (PTB), Rita Valle (PV), João Carlos (PODEMOS), Gustavo Sartori (PSB).  O PSOL também deve ter candidatura própria, mas ainda não divulgou nomes.

Até as convenções, alguns partidos podem até se unir. É um jogo de xadrez.

E OS VICES?

Oficialmente só o PV tem pré-candidato a vice-prefeito: o engenheiro e ex-secretário de Agronegócios, Marcelo Perrone, pode fazer dobradinha de chapa puro sangue com Rita Valle no PV.

Outra dobradinha “puro sangue” provável é a do PSD, do vereador Basílio Zechinni que foi oficialmente o primeiro a anunciar a pré-candidatura a prefeito. Ele conta com apoio de dissidentes do PSL e que não conseguiram fundar o Aliança, de Jair Bolsonaro. Entre os apoiadores do presidente, que fazem parte do grupo está o Coronel Américo Higuti, que é cotado, como candidato a vice.

Com o adiamento das eleições estas definições, certamente, esperarão mais um tempo. As reuniões continuam.

EPISÓDIO DA CALCINHA DO DITINHO

E já que estamos falando em eleições, o episódio da calcinha, infelizmente foi politizado na Câmara Municipal.

Os vereadores do Grupo Chedid se uniram mais uma vez (ou será que foram unidos?) e rejeitaram por 14 x 4 a criação de uma Comissão Processante para analisar se o caso era ou não motivo para cassar o mandato do Ditinho Bueno.

Da oposição, apenas Marcus Valle entendeu como eles, que a Comissão de Ética era o suficiente. Esta Comissão é formada pelos vereadores  Fabiana Alessandri, Natanael Ananias, Rita Leme, Tião do Fórum e Sidiney Guedes, todos do grupo ao qual o vereador faz parte.

A primeira reunião da Comissão de Ética está marcada para segunda-feira, 6, às 14h e são muitas as perguntas que esperamos que eles façam, e Ditinho responda.

O vereador chegou a pedir desculpas por cheirar a calcinha durante a sessão on-line e para se defender publicou um vídeo nas redes sociais, onde se enrola mais. Primeiro ele acusa a oposição e parte da imprensa, de perseguição, como se ele não estivesse em horário de trabalho, cheirado a calcinha. E para piorar ainda usa uma frase racista para se defender. “Foram 28 segundos negros na minha vida”, disse ele.

Lamentável de novo vereador!

Por hoje é só, mas semana que vem, tem mais Bastidores Em Pauta

Quer receber notícias de Bragança Paulista e região no celular?  É só clicar aqui:
WhatsApp do Bragança Em Pauta

 

 

 

Deixe uma resposta