Policiais civis da Delegacia de Investigações Gerais (DIG ), sob o comando do Dr. José Glauco Ferreira desarticularam um quadrilha que agia em Bragança Paulista e Itatiba, após intensa investigação. Três pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira, dia 29 e pelo menos outras três tiveram mandados de prisão decretados.

A quadrilha, segundo o delegado,  além de roubos na Zona Rural de Bragança Paulista, praticava roubos em Itatiba, negociava armas e drogas. O caso deverá continuar sendo investigado não só pela polícia de Bragança Paulista, mas também de Itatiba.

Em entrevista exclusiva ao  Bragança Em Pauta, o delegado informou que os policiais chegaram até os criminosos, após um assalto registrado em Bragança Paulista, em uma fazenda, na Rodovia Alkindar Monteiro Junqueira, que liga Bragança Paulista à Itatiba.

Na noite de 31 de março, cerca de 8 indivíduos, encapuzados e portando armas longas, entraram no local, renderam o vigia da portaria, os caseiros e demais funcionários da propriedade.

Durante toda a ação, os bandidos se comunicavam por telefone e ameaçavam verbalmente os funcionários. Eles procuravam pelo proprietário da fazenda, que por sorte, naquele final de semana não estava no local.

Segundo o relatado pelos funcionários, à polícia, os ladrões durante cerca de 15 minutos ameaçaram as vítimas, as torturando-psicologicamente. Eles pediam a chave do cofre, exigiam dinheiro e objetos de valor e diziam que todos iam morrer.

Como perceberam que o dono do local não chegaria, acabaram abatendo um animal para poder levar a carne para comer, roubaram tênis e outros objetos de pequeno valor.

O delegado, acredita que eles ficaram sem reação, ao perceber que o dono da fazenda, que era o alvo deles, não estava. “Viram que a ação não teria muito êxito e levaram inclusive produtos alimentícios”, disse.

Logo após o roubo, a polícia começou a trabalhar na investigação do caso e conseguiu levantar o número de dois telefones celulares usado pelos ladrões. Foram feitas então interceptações telefônicas com autorização da Justiça e mais do que o roubo na Zona Rural, os policiais descobriram um quadrilha, até então, bem articulada e estruturada, que negociava venda e empréstimo de armas e drogas, além de é claro compartilhar informações.

Na manhã de hoje, dia 29, ao cumprir mandados de busca, os policiais detiveram Cléber Bressani Araújo,  de 41 anos, residente no Biriçá do Valado e Rodrigo Torres, de 20 anos, residente no Bairro São Francisco, em Itatiba, bairro onde residem outros criminosos pertencentes à quadrilha já identificados pela polícia.

Cléber Bressani, segundo o Dr. Glauco Ferreira, já prestou serviços na fazenda. A polícia acredita que foi ele quem passou informações para os comparsas, sobre a rotina da fazenda.

O delegado explicou ainda que além de três espingardas apreendidas na ação, uma TV roubada também foi recuperada na casa da cunhada de Rodrigo Torres, em Itatiba. Ele acrescentou inclusive que em uma das conversas telefônicas, devidamente interceptadas, o acusado dizia que tinha praticado um roubo em Itatiba e levado a tela para a casa da cunhada.

“Não temos dúvidas que eles participaram do assalto, que são responsáveis pelo crime. Por conta das investigações, descobrimos uma organização, sediada em Itatiba e eles foram todos investigados e alvo de buscas domiciliares. É importante que retiramos armas de circulação. Foram 8 pessoas identificadas. Dois estão presos, três com mandados de apreensão decretados. O trabalho continua para prender o restante e agora o importante é que esta quadrilha  ficou enfraquecida”, disse.

O terceiro elemento detido durante a ação da polícia civil, foi preso por porte ilegal de arma pois estava com uma espingarda que ele mesmo confessou ter comprado de Cléber Bressani e que provavelmente foi usada no assalto, já que as vitimas alegam que os ladrões tinham armas longas.

FALTA DE SEGURANÇA

Se por um lado, a Polícia Civil está de parabéns pelas investigações e trabalho, por outro lado, os moradores da Zona Rural reclamam da falta de patrulhamentos preventivos.  A reportagem do Bragança Em Pauta têm recebido muitas reclamações.

Importante lembra, que desde 2013, a Guarda Civil de Bragança Paulista conta com duas viaturas, adquiridas com verbas do Fundo Municipal do Desenvolvimento Rural, devidamente autorizadas pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural, com o objetivo justamente de prevenir furtos e roubos, especificamente na região rural.

Moradores da Zona Rural, entretanto, têm procurado a reportagem, dizendo que não tem visto mais as viaturas, principalmente durante a semana.

Realmente é possível  observar as viaturas sendo usadas na zona urbana. Na semana passada, inclusive, o Bragança Em Pauta, flagrou o sub-comandante e o corregedor da Guarda, com a viatura caminhonete da Guarda Rural, em pleno meio da tarde, na Prefeitura.

Informamos e questionamos o secretário de Segurança Dorival Francisco Bertin sobre o assunto, há alguns dias atrás, e ele disse que o patrulhamento na Zona Rural está ocorrendo e que disponibilizou um carro justamente para que os guardas não usem as viaturas para realizar serviços administrativos na Prefeitura.