Guarda Civil de Bragança Paulista

O ajudante geral Elenaldo Inácio dos Santos, de 35 anos, morreu na manhã de sexta-feira, 21, por volta das 6h45. Conforme o relatado à polícia pela ex-companheira, ele foi empurrado de uma laje no início do mês.

“Érick’, como ele era conhecido,  estava há 15 dias internado no Hospital Universitário São Francisco (HUSF). A família, no entanto,, não registrou a ocorrência. A polícia só foi procurada após a morte da vítima.

O fato foi registrado no Plantão Central da Polícia Civil, como homicídio e será investigado.

Conforme o apurado pelo Jornal Bragança Em Pauta  o imóvel de onde ele foi empurrado fica na Rua Yayá Siqueira Fagundes, no Bairro da Penha.

A ex-companheira ao registrar a morte do rapaz, disse à polícia que testemunhas teriam visto quando ele foi empurrado. O fato chamou atenção dos policiais que imediatamente passaram a investigar o caso.

A polícia apurou então que o rapaz caiu da laje no dia 5 de dezembro entre 18h e 19h. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e Emergência (SAMU) foi acionado por volta das 20h10.

O SAMU socorreu “Érick” para o HUSF e registrou o caso como queda acidental de uma altura de cerca de 3 metros. A vítima, ficou no hospital até a manhã do dia 6, quando teve alta médica.

Naquela noite, entretanto, o ajudante geral começou a passar mal em sua residência. Ele teve convulsões e novamente o SAMU foi acionado. “Érick” foi levado então novamente para o HUSF, onde permaneceu internado até a morte.

Porque ele foi empurrado da laje?

Os policiais localizaram um homem e uma mulher, que foram testemunhas do empurrão. Eles relataram que a vítima urinou na frente da moça e que por causa disto, um homem passou a discutir com ele.

Depois da discussão o rapaz empurrou a vítima da laje e na sequência fugiu.  A polícia trabalha agora para localizar o acusado e apurar os fatos.

Além de esclarecimentos sobre o empurrão, chama atenção no caso o fato dele ter tido alta médica um dia depois do acidente. Devido a queda, de acordo com o próprio relatório do HUSF, a vítima sofreu traumatismo craniano, toráxico e abdominal graves,

Um inquérito policial deverá ser instaurado para apurar o ocorrido.

 

 

 

 

Deixe uma resposta