Prefeitura de Bragança Paulista anuncia fiscalização de preços abusivos em parceria com PROCON. Ação acontece nesta tarde.

A Prefeitura de Bragança Paulista informou na manhã de hoje, 24, que o Secretário de Defesa do Consumidor do Estado e Diretor do PROCON-SP, Fernando Capez, fará uma visita ao Paço Municipal.

A visita estava marcada para as 13h e na sequência será realizada fiscalizações em estabelecimentos comerciais do município de preços abusivos.

Desde o dia 14 de setembro até o dia 22, o Procon-SP notificou 331 estabelecimentos comerciais durante fiscalizações de combate ao aumento injustificado de preços.

As empresas foram notificadas e deverão apresentar notas fiscais de compra e venda de alguns itens da cesta básica para verificação de eventual prática de preços abusivos.

Fiscalização

A operação acontece em todo o Estado e tem principalmente como foco os itens: arroz (pacote de 5 kg), óleo de soja (embalagem de 900 ml) e carnes vermelhas (patinho, coxão mole, coxão duro e contrafilé). O objetivo é coibir abusos e garantir à população o acesso aos produtos; empresas que praticarem preços abusivos responderão a processo administrativo.

Na capital, os maiores preços encontrados no arroz tipo 1 (pacote de 5 kg): R$ 27,90; no óleo de soja (900 ml): R$ 7,73; no patinho (kg): R$ 47,69; no coxão mole (kg): R$ 55,61; no coxão duro (Kg): R$ 53,11 e no contrafilé (Kg): R$ 64,99.

Além de Bragança Paulista, agentes que atuam no interior já estiveram nas cidades de Águas de São Pedro, Americana, Andradina, Araçatuba, Araraquara, Assis, Avaré, Bariri, Bauru, Bebedouro, Birigui, Botucatu, Brejo Alegre, Brotas, Buritama, Campinas, Campo Limpo Paulista, Capão Bonito, Capivari, Caraguatatuba, Catanduva, Cosmópolis, Diadema, Getulina, Guaíra, Guaratinguetá, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itararé, Itupeva, Jaguariúna, Jaú, Jundiaí, Marília, Martinópolis, Mesópolis, Mirandópolis, Monte Aprazível, Monte Mor, Morungaba, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Pindamonhangaba, Pontalinda, Porto feliz, Presidente Prudente, Registro, Ribeirão Pires, Ribeirão Preto, Rio Grande da Serra, Saltinho, Santa Albertina, Santa Barbara Doeste, Santa Cruz do Rio Pardo, Santa Fé do Sul, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São Joaquim da Barra, São José do Rio Preto, São Manuel, São Pedro, São Vicente, Sorocaba, Taquaritinga, Tatuí, Terra Roxa, Ubatuba, Valinhos e Valparaíso.

Os maiores preços foram: R$ 34,90 no arroz tipo 1 (pacote de 5 kg); R$ 8,59 no óleo de soja (900 ml).

Como denunciar

O Procon-SP disponibiliza canais de atendimento à distância para receber denúncias, intermediar conflitos e orientar os consumidores: via internet (www.procon.sp.gov.br), aplicativo – disponível para Android e iOS – ou via redes sociais; para as denúncias, marque @proconsp, indicando o endereço ou site do estabelecimento.

Quer receber notícias de Bragança Paulista, bem como região no celular? É só clicar aqui:
WhatsApp do Bragança Em Pauta

Deixe uma resposta