Desde quando o Carnaval terminou, a reportagem do Bragança Em Pauta aguarda um posicionamento da Prefeitura, quanto aos gastos efetuados no Carnaval, porém, nenhuma resposta foi dada.

Os questionamentos são com relação aos valores pagos pela estrutura, como sanitários, bandas, seguranças, tendas das praças de alimentação tanto do CarnaPraça como da Passarela Chico Zamper entre outros. Também questionamos sobre quem seriam os patrocinadores anunciados tanto pelo secretário de Cultura e Turismo, Cléber Centini Cassali, quanto pelo presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (LIESB), Paulinho do Barril, que teriam destinado verbas às escolas Dragão Imperial e Lavapés.

Vale lembrar que antes dos festejos, a Prefeitura, não havia sequer divulgado no Imprensa Oficial a forma pelas quais haviam sido feitas as contratações dos shows que aconteceram no CarnaPraça, de bandas como “Os Prettos”, “Demônios da Garoa” e “Luiz Ayrão”.

As ratificações das inexigibilidades de licitação destas bandas só foram publicadas no dia 7 de março, no Imprensa Oficial, com data retroativa  24 de fevereiro.

Na mesma oportunidade foi publicada, também com data do dia 24 de fevereiro, a Dispensa de Licitação para contratação emergencial de empresa especializada para prestação de serviços de segurança no Carnaval.

Antes do Carnaval, questionamos a Divisão de Imprensa sobre a quantidade de seguranças que seriam contratos, valores, mas até o momento não obtivemos retorno.

Além destas publicações no dia 7 de março, vale lembrar que na edição do dia 10 de março a Prefeitura publicou a a Inexigibilidade Licitação para contratação do show artístico da banda Me Gusta para os festejos do Carnaval 2017, conforme solicitação da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e parecer jurídico anexo ao processo, também com data do dia 24.  Com este nome “Me Gusta” não houve apresentação de nenhuma banda durante os festejos.

Questionamos a DIMP sobre o fato, mas também não obtivemos retorno.