Dois roubos de veículos foram registrados em Bragança Paulista nos últimos dias e, a Polícia Civil, conta com uma ferramenta a menos na hora da investigação:  os chamados OCRs, implantados  nas principais entradas e saídas da cidade estão desligados  conforme declarações recentes do secretário de Mobilidade Urbana,  Manoel Botelho, à imprensa.

Os equipamentos, capazes de identificar todos os veículos que entram e saem na cidade, foram instalados em 2009 na administração de João Afonso Sólis (Jango), quando foi implantado o Complexo Integrado de Segurança, Emergência e Mobilidade (CISEM) e até o desligamento eram responsáveis pelo esclarecimento de diversos roubos de veículos, identificação de quadrilhas e prisão de criminosos.

Uma ferramenta aliada das forças de segurança pública no combate à criminalidade que está fora de operação.

Leia + Radares começam a ser desligados em Bragança Paulista

O primeiro roubo teve como vítima um casal e aconteceu lá no no Jardim São Miguel, na madrugada de domingo, 17.

Conforme o registrado no Plantão Central da Polícia Civil, um casal chegava à sua residência, com o  Renault/Duster, prata, de placas FEA-9584/B.P., quando foi abordado por dois  indivíduos ocupando uma moto.



O garupa desceu, armado de revólver e mandou o casal descer.

O ladrão assumiu a direção do veículo e seguiu rumo ignorado.

As vítimas compareceram ao Plantão Central da Polícia Civil, onde foi elaborado boletim de ocorrência e comunicadas as Polícias Militar, Rodoviárias Estadual e Federal.

Até a manhã desta terça-feira, 18, o veículo não tinha sido localizado.

O segundo caso aconteceu na noite de segunda-feira, 18, quando um rapaz estava sentado com a sua motocicleta Honda/CG 125 Titan, prata, placa DCI-9761/B.P., na Avenida Eusébio Savaio.

O assaltante se aproximou e armado de revólver, anunciou assalto, roubando a moto.

Leia + Descaso com segurança e falta de planejamento deixa cidade sem monitoramento

O ladrão disse à vítima que  abandonaria a moto nas proximidades do Posto de Monta.

Com a ajuda de um amigo a vítima seguiu o ladrão por alguns bairros, viu quando ele entrou em uma farmácia no bairro do Lavapés e saiu logo depois, seguindo pelo bairro do Matadouro e CDHU.

O ladrão foi acompanhado por uma motocicleta Yamaha até o Jardim São Caetano, sempre seguido pela vítima.

Nesse bairro, ele abandonou a moto da vítima próximo ao crematório de animais e subiu na garupa da Yamaha.

A vítima então pegou a sua moto e foi até uma empresa de mototáxi no CDHU, onde, algum tempo depois, chegou o condutor da Yamaha, o qual relatou ter sido contratado pelo indivíduo para fazer a corrida até o Jardim São Caetano, o que foi feito.

A vítima compareceu ao Plantão Central da Polícia Civil, onde relatou os fatos, sendo elaborado boletim de ocorrência, que será investigado pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Deixe uma resposta